youtube instagram facebook tiktok
Piauí, 22 de abril de 2024
Circulando

PSDB lança João Vicente Claudino como pré-candidato a prefeito de Teresina

A decisão foi deliberada, nesta terça-feira (20).


Em uma reviravolta, após a desistência do ex-deputado Luciano Nunes (PSDB), o ex-senador João Vicente Claudino (PSDB) foi lançado como pré-candidato a prefeito pelo PSDB. A decisão foi deliberada, nesta terça-feira (20), em reunião convocada pelo Diretório Municipal do PSDB em Teresina. 

Compareceram à reunião pelo menos 18 ex-secretários de gestões do ex-prefeito Firmino Filho. João Vicente Claudino (PSDB) chegou ao partido, sendo aplaudido por alguns tucanos presentes. 

Durante as falas, o vereador Paulo Lopes (PSDB) e o presidente do Cidadania, Mário Rogério, defenderam a pré-candidatura própria e o nome de JVC para a vaga. 

O convite foi aceito por João Vicente Claudino, que se filiou no partido nas convenções feitas no ano passado. 

“Continuo defendendo a candidatura própria e se eu defendo me coloco à disposição para que o PSDB, a federação, com o municipal e estadual encaminhe o que seja o melhor para a cidade”, disse JVC. 

Ele também pontuou: 

“Isso me estimula a colocar na minha vida política e pública a defender que o PSDB tenha um candidato. Fomos a Brasília e Luciano Nunes foi comigo defendendo a mesma coisa. Não sei porque a coisa mudou. A deputada Bárbara também viria para o PSDB, mas não sei o que aconteceu. Há um discurso que se coloca de que estão fazendo tudo pelo bem da cidade. Quando é que vão admitir que estão fazendo isso pelo bem deles? A cidade foi consultada?”, questionou João Vicente Claudino em fala que fez aos apoiadores. 

Foi ventilado também entre os tucanos presentes a possibilidade de JVC compor a pré-candidatura com Silvio Mendes do União Brasil. 

Luciano fala por si, diz Edson Melo 

O presidente do PSDB de Teresina, Edson Melo disse, em entrevista, que a adesão à pré-candidatura de Fábio Novo, Luciano Nunes “falou por si próprio”.

Segundo ele, o evento não contou com o protocolo exigido para ser considerado um “ato do PSDB”. Ele ainda apontou que alguns dos nomes que acompanharam Luciano Nunes na adesão já não faziam parte do ninho tucano. 

“Pelo partido, pelo diretório, para isso nós fizemos um edital de convocação, nós vamos ouvir, nós vamos colocar algumas pautas aqui em votação. É diferente do que aconteceu ontem, que se falou por pessoa individual por interesses pessoais. Quem decide nas eleições municipais, em todos os municípios, independentemente de número de habitantes, é o diretório municipal. Se houver algum conflito em termos locais ou regionais, quem decide é o diretório nacional. E pra ele decidir, acima do diretório municipal, tem que fazer uma intervenção e colocar para fora”, disse Edson Melo.

Fonte: Cidade verde

Dê sua opinião: